Palavras


Palavras

A palavras que escreves nua
sobre as palavras sem cadência
sentidas pelo soprar que insinua
borbulhante no pescoço nu…
Ai…cosquinhas….gritas tu!.
Do imo do sedutor poder
onde os íntimos se arrastam
ouvi arrepiar borboletas difusas
pela vaga música da tua pele
ordenando letras confusas…
Luz que bebe a luz onde brilhas
e tudo que é fundo vem à superfície
enquanto correm lábios nas trilhas
soletrando fonemas desorganizados
pelo desejo que impeles vigorosamente.
Palavras onde fazemos amor …
…São todas as que escrevemos.

Robert

3 comentários:

Mel disse...

Uma bela poesia!Todo poeta tem poder de sedução,sua arma é a palavra,o romantismo,a sensualidade...
E porque não dizer o amor?

Todo poeta sabe como aguçar os sentidos!

Beijos poéticos!

Bia Hain disse...

Tais palavras não necessitam de economia. Lindo, Robert. Um abraço!

Denise Matos disse...

Pelas tuas palavras sente-se o clamor dos corpos, despe-se os pudores! Lindíssimo!!!
Aplausos!!! Bjão procê! :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...