Toque-me!



Toque-me!


Partitura aberta. No palco o piano espera
Da platéia, ouve-se rumorejos buliçosos
Corpos sequiosos pelo início do concerto

No interior as cordas se agitam excitadas
Todas afinadas e prontas para os acordes
Tesas, no intervalo que antecede o toque

Silêncio. O pianista surge. Meia-luz em foco
Melodiosa sinfonia mansamente lírica ressoa
Tesouro de sons tombando sobre as teclas

Breve, semibreve, sobre si, um fá, lá, sem dó.
Longos dedos hábeis, fazem vibrar até o Sol,
contagiando os ouvidos, iluminando as almas

E as notas vão gemendo, subindo, deliciando,
extasiando o público, que em deleite sonoro,
levanta-se, aplaude e grita: Bravo! Bravo!...

Rosa Mattos





3 comentários:

Robert o Poeta Solitário disse...

Muito obrigado pela participação no meu humilde blog...é uma honra.
Quanto à poesia em si...não me enganei quando li seus textos...puro talento e de uma sensibilidade maravilhosa...Aplausos...e obrigado....

Anónimo disse...

Bravo, bravo...essa poetisa eu não conhecia....deve ser um show seus escritos...Parabéns pelo belo poema...Beijos...Yluna Angel

Nalva disse...

Gostei muito Rosa,da sutileza das palavras...tomam os sentidos...

Posso fechar os olhos e transportar-me ao concerto...deixo-me tocar...
Gosto muito desse jeito de poetar!

Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...