Vagueavas na poesia que escreverei amanhã


Vagueavas na poesia que escreverei amanhã

Foi naquela tarde inquietamente chuvosa,
em que o dia escuro era já novo alvorecer
na entreaberta paixão pela linda e bela rosa,
aquela doce menina e formosa mulher.

Entre o céu e sonho o amor se advinha,
onde se beijam apaixonados a loucura e o pudor…
Sorriso de criança de audácia na entrelinha
onde escondida lê versos de amor.

O grito guardado no devasso peito que palpita,
cansada de rir ou apenas pura emoção….
E quando os lábios ardentes no meu rosto agita,
Não sei se rouba um beijo ou me dá o coração.

Beijos de boneca que me deixa a face enfeitada,
com o brilho furtivo do apaixonado sorriso..
Em poesia cantas os sonetos da palavra enamorada,
Voando nas asas de um anjo para o paraíso…

Onde rodopiamos entre as nuvens apaixonadas
reflexos inocentes no espelho sem o maltratar..
Clamamos a Deus clemencia as almas maltratadas
pelo destino conjugue do eterno verbo amar.

A menina…moça…mulher…não quero mais perder,
apresso-me a escrever todo e todo o meu amor…
Sonho….grito…escrevo…rescrevo…vais compreender!
Que os livros de amor nunca poderão ser escritos com dor…

Chora comigo nos olhos da felicidade ancestral de outrora
onde as lágrimas são simples gotas de alegria
que compensam os fardos sufocados pela demora
do amor prometido nas histórias que escrevi um dia...

Ama-me com teu jeito de criança que faz ver o cego
através do braile do teu canto estrangulado, talvez
pelos beijos de mel que meu ser te oferece no verbo
enquanto dançamos a valsa no velho palácio inglês.

Corre comigo até ao velho carvalho plantado no espaço,
cravar a navalha que corta os pulsos com exactidão
da velha casca até ao seio do delicado abraço,
escrevendo nosso nomes nas pulsações do inquieto coração!

Amo-teeeee….amor dos meus amores...
Grito do alto do penhasco onde a tarde chuvosa se fez manhã
onde seremos carrascos dos teus tristes desamores,
linda Rosa…que vagueavas na poesia que escreverei amanhã.

Linda mulher que dançaste na tela onde te pintei divina,
Nem ousarei explicar a quem não pode entender
que na mulher por quem me apaixonei encontra-se a menina,
que me apresentou a mulher por quem quero morrer!

Robert










 

6 comentários:

Flor Morena disse...

Rsrs... As rosas falam... Este é um cântico.

Bia Hain disse...

Robert, romântica e genial sua postagem. É interessante como uma pessoa pode ter em si várias faces, essa revelação do lado apaixonado é encantadora.
Um abraço!

Denise Matos disse...

Caríssimo Robert, agora vc pegou pesado, meu amigo!!! Essa poesia é espetacular! Sem titubear vou dizer que é a mais linda que vc já escreveu!

Fiquei de fato sem palavras pra comentar essa poesia, e olha que ficar sem palavras não é comigo, rs...

Maravilhoso mesmo... Aplausos pra vc e bjos em seu coração...

Mel disse...

É maravilhosa,encantadora,é amor demais...sente-se em cada verso a intensidade,é um beijo na alma da amada...sortuda mulher-menina que te arrebata e te fascina...Com certeza tens o amor dela...

Beijos poéticos,Robert!

Anónimo disse...

Oi, Uma primorosa poesia em que exalta esse sentir que precisa mais do que nunca ser vivido realmente, loucamente, antes que passe...pq nada dura pra sempre. O pra sempre é o hoje, pq o amanhã pode não existir. E não deixe, nao deixe mesmo passar esta especial e melhor sensação que podemos ter um dia. Nem todos tem este privilégio! Viva logo tudo isso, que me parece em tuas linhas sufocar o sentimento. Beijo grande, Camille Simeone

Denise Matos disse...

Essa é a declaração de amor mais linda que eu já li...
Cada vez que leio e olha que já li muitas vezes, fico sem palavras... é uma poesia tão linda e tão transparente que dá pra ver a alma do poeta. Bjos...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...