Línguas


Línguas

Abri tuas pernas…janelas de sonho
que eu queria e havia dentro de ti,
de onde ainda me recomponho
de todos os ais e essências que lambi….

dentro de ti…
onde o silêncio eu perdi
enquanto me bebias sem regresso à realidade…

Mil e uma vezes gritei de prazer
e repeti teu nome subjugado as
mil e uma vezes que entrei sem perceber
que estavas apaixonada...
Línguas de forma aveludada
que se expunham
na paixão fecundava dentro dos orgasmos…

Os mesmos que já não sonhavam
e deixamos sonhar
entre gemidos cruxificados no altar
entre as vozes roucas que amaram
nos tangos de passo a passo que ainda dura
nos lampejos de nossa doçura.

Segurei teus seios… tuas janelas,
e nu...despi tua silhueta
e perdi a vaidade…
verdade…
amei ….todas as aquarelas
que em silêncio abri
na noite húmida dentro de ti
ardendo de ansiedade
maravilhado pelo amor que vivi
desbravando a pura castidade…

Robert














3 comentários:

Denise Matos disse...

Beleza e sedução em cada linha de sua poesia... não há como ficar indiferente a tanta sensibilidade que encontro aqui. Um primor de obra onde minhas palavras se fazem poucas para adjetivá-la.

Meus aplausos pra vc, muito merecidos. Bjos em seu lindo coração...

Bia Hain disse...

Robert, você é especialista em criar poemas extremamente eróticos sem, contanto, serem vulgares. Parabéns, um abraço!

Nádia Santos disse...

Loucura pura e de um erotismo maravilhoso... Eu me rendo! Parabéns caro poeta!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...